Visagismo x Imagem - Imagem Profissional

03/11/2017 Pessoas
Imagem

Nesses últimos dois anos como aprendiz nessa profissão que fui escolhida, escolhida sim, porque simplesmente aconteceu e foi amor ao primeiro conhecer, percebi e aprendi muita coisa sobre nós seres humanos.

A principal delas é como não nos olhamos e tornamos ignorantes sobre a gente mesmo.  Não procuramos nos aprofundar em nada, em ninguém, e muito menos em nós mesmo.

Costumamos criar uma imagem distorcida do nosso físico, da nossa personalidade e assim transferimos essas impressões para as outras pessoas também. Em uma das minhas leituras, lembro-me bem da autora afirmar que somos “analfabetos visuais” – entre aspas porque a palavra analfabeto refere-se ao conhecimento da língua escrita, então ela se apropriou da palavra para dá significado a algo que ainda não temos uma palavra para definir.

Pois bem, coloquei minha visão acima para que pudesse me explicar de forma um pouco mais palpável sobre o tema que tanto me encanta e tanto me transformou como ser humano e profissional, o Visagismo de Philip Hallawell.

A palavra Visagismo muitas vezes ainda não é conhecida ou até mesmo confundida com outras de sonoridade parecida. Termo utilizado restritamente por alguns profissionais da área da beleza e estética, mas com um alcance de significados que vai muito além.

O Visagismo trata de um conceito que procura ler nossos traços, formas e cores que apresentamos em nosso rosto e como eles interferem, ou até mesmo são responsáveis, por nossa personalidade, comportamento e na mensagem imagética que passamos as outras pessoas, que por sua vez respondem a essa mensagem na maneira como nos relacionamos com ela.

Consegue perceber a importância de se conhecer? De se olhar! E principalmente se interpretar?

Será que estamos de forma inconsciente mostrando o contrario daquilo que queremos ou gastaríamos?

Detalhes, como o nosso sorriso, podem ser responsáveis pela nossa conquista ou nossa perda. É exatamente trazer para consciência todas essas mensagens que trazemos em nosso rosto que se dá o trabalho do Visagismo.

Não trata-se apenas de ajustar a padrões estéticos sociais, como algumas vezes é utilizado por ai, mas trazer conhecimento ao ser, para que o mesmo possa se trabalhar e adequar sua imagem ao seu objetivo de vida, como pessoal ou profissional.

Esse conhecimento de si, possibilita utilizamos os recursos estéticos e de beleza ao nosso favor de forma concreta e eficiente, não apenas por modismos, imposição social ou outra coisa qualquer.

Com o Visagismo conseguimos sim, sugerir um corte de cabelo mais adequado, uma coloração mais harmônica, um designer de sobrancelha, uma armação de óculos, maquiagens, penteados e até buscar os tratamentos estéticos, nas mais diversas aras, de forma consciente e segura. Mas principalmente não só com a imagem que você deseja passar para os outros, como em concordância com a imagem que transmite quem você realmente é!

Renata Ferro Cordeiro Pires - renatapires@decouverte.com.brmail