Os 5 pilares da gestão de pessoas

31/01/2019 Gestão
Imagem

Gestão de pessoas é o conjunto de estratégias empregadas por empresas para desenvolver seu capital humano. As ações de Recursos Humanos são exercidas desde a atração dos melhores profissionais possíveis e incluem seu desenvolvimento, retenção e motivação para desempenhar suas funções.
 

Foi-se o tempo em que as pessoas eram vistas como simples engrenagens que poderiam ser facilmente substituídas dentro de uma organização. Cada vez mais as empresas encaram seus colaboradores como fatores críticos de sucesso.

 

Por que a Gestão de Pessoas é importante para as empresas?
 

Empresas gastam rios de dinheiro para buscar os melhores profissionais, oferecem bons salários e benefícios e acreditam que isso é suficiente. O profissional entra na empresa, recebe uma pequena capacitação inicial e, depois, é deixado de lado no cumprimento de suas atribuições de rotina.
 

Equipes bem geridas e motivadas podem levar o resultado da empresa a outro patamar. Para atuar bem sobre a equipe, não deixe de entender os 5 pilares da gestão de pessoas.

1° Pilar: Motivação
Normalmente esse será o ponto de partida e combustível para os outros 4 pilares da gestão de pessoas, pois qualquer empresa depende do comprometimento individual de cada pessoa que participa dela.

Um funcionário sem motivação rende muito menos do que é capaz e está sempre pronto para sair na primeira oportunidade possível. Esse não é o perfil de trabalhador que as empresas buscam atualmente, muito pelo contrário, a auto motivação é um dos pontos essenciais buscados em processos seletivos.

Pensando na organização como um todo, o mais importante é entender o que motiva uma pessoa a fazer parte dela. Podem ser incentivos financeiros (altos salários e bônus), o propósito da empresa em si (qual a causa por trás do faturamento?), o desafio proporcionado a quem participa delas (a nível individual e coletivo), um plano de carreira consistente (desenvolvimento e valorização de funcionários).

2° Pilar: Processo de comunicação
Para que tudo o que falamos no parágrafo anterior realmente aconteça, uma boa comunicação é essencial. Não só entre gestores e funcionários ou entre colaboradores do mesmo setor, mas uma comunicação integrada, que faça com que a informação sempre esteja disponível quando for necessária.

Os administradores devem incentivar o diálogo, quebrando as barreiras hierárquicas e trabalhando em conjunto com todo o time, para assim atingir um objetivo comum.

3° Pilar: Trabalho em equipe
A empresa é um organismo só com um objetivo comum para todos, por isso não faz sentido cada setor ou cada equipe ter os seus próprios objetivos se eles não possuem ligação com os demais. Só conseguindo ver a importância do que todos estão realizando é que os funcionários sentem-se relevantes dentro de um ambiente organizacional.

Por isso muito mais do que aquele papo de ter um ambiente bacana (que até é importante e se você quiser entender como o seu está, utilize a nossa planilha de pesquisa de clima organizacional), é necessário iniciativas que fazem com que o trabalho em equipe seja natural e orgânico ao trabalho em si na sua empresa ou área.

4° Pilar: Conhecimento e competência
Por melhor que seja estruturado todo esse sistema que viemos falando ao longo do texto, o sucesso não será possível caso os funcionários não possuam conhecimento e competência para executar suas tarefas. Sendo assim, é preciso que seja feito um planejamento que busque montar a melhor equipe possível e criar um ambiente em que todos consigam crescer juntos.

Esse processo de construção passa pelo processo seletivo e construção de uma cultura organizacional de valores fortes. Para que isso aconteça o ideal é manter as práticas de gestão por competências – identificando os pontos fortes e as oportunidades de melhoria dos profissionais – e de feedback, que permite estar sempre dando retorno sobre cada ação dos membros da equipe.

5° Pilar: Treinamento e desenvolvimento
Quem fica parado acaba ficando para trás, e isso vale não só para a gestão da empresa como um todo, mas também para o desenvolvimento de cada funcionário. O treinamento e a busca pelo desenvolvimento devem ser constantes, partindo conjuntamente da empresa e de cada um dos trabalhadores.

O mais importante é atingir um ponto de equilíbrio em que a empresa e o profissional estejam satisfeitos com o resultado da troca. Dessa forma todos ganham e têm a oportunidade de crescerem juntos, em uma parceria que tem tudo para dar certo.

Assim como na medicina, cada diagnóstico terá um tratamento diferente. E, acredite, equipes bem geridas e motivadas podem levar o resultado da empresa a outro patamar.