A Copa do Mundo e sua relação com a economia

08/06/2018 Empreendedorismo
Imagem

A Copa do Mundo de 2018 na Rússia está sendo aguardada com bastante ansiedade por estudiosos políticos e econômicos, pois será a grande oportunidade de observar de perto e mais claramente quais foram os reflexos deixados pelas décadas comunistas do passado e quais são os apontamentos para o futuro do país.

 

A Rússia tem um grande desafio com a organização do mundial, pois precisa driblar dificuldades fora do campo como a forte crise econômica que se abateu sobre a nação nos últimos anos e a falta de infraestrutura adequada. Recentemente o governo russo anunciou que iria incrementar o orçamento destinado ao evento em R$ 1 bilhão.

 

Aumento de Orçamento

 

A notícia do aumento do orçamento da Copa do Mundo para 638,8 bilhões de rublos (R$ 33,7 bilhões) chegou num momento em que o país ainda está se levantando da recessão que tomou conta da economia nos últimos anos. O novo século não tem sido fácil para o país que voltou ao capitalismo no início da década de 1990. O governo divulgou um decreto em que indica que as despesas com o mundial chegarão ao valor de 19,1 bilhões de rublos (R$ 1 bilhão). Cabe ao governo dar conta de metade dessas despesas deixando o montante restante para os governos regionais e para investidores privados. A divulgação da elasticidade do orçamento chegou num momento em que havia certo receio quanto à capacidade do país de oferecer a infraestrutura adequada.

 

Cortes que Assustaram

 

A crise econômica que parece ter se tornado uma constante no país nos últimos anos contribuiu para que o Ministério dos Esportes da Rússia fizesse um corte de cerca de 10% do orçamento total de investimentos. O setor mais impactado com incertezas e cortes é o hoteleiro que depende do sucesso da Copa para recuperar seus investimentos.

 

Divisão do Orçamento

 

Em torno de metade do orçamento destinado a realização da Copa do Mundo russa será empregada na construção e melhorias na infraestrutura do país como aeroportos e estradas. Por sua extensão e condições um tanto adversas em alguns pontos do território, a Rússia, precisará ter soluções práticas para as questões estruturais que ainda se encontram pendentes. Também está previsto que cerca de 1/3 do orçamento destinado ao mundial seja investido na construção de estádios e demais instalações necessárias para que os jogos aconteçam como os 113 centros esportivos, 11 aeroportos novos e 62 hotéis. A grande expectativa está em torno da construção e inauguração dos estádios. Já foram entregues os estádios Kazan Arena e Otkrytiye Arena. Há previsão de que o estádio Luzhniki (que será o estádio da grande final) fique pronto até o final de 2017.

 

Legado da Copa

 

Quando o país sede da Copa do Mundo faz um bom planejamento consegue estabelecer um bom retorno das instalações construídas de maneira que o impacto do investimento se dilui em poucos anos. As instalações que estão sendo erguidas pelos russos podem contribuir significativamente para o crescimento de regiões que se encontram isoladas até esse momento. Além disso, a estrutura voltada ao esporte de alto rendimento pode se tornar um incentivo para a formação de novos atletas.